Documento sem título
C

Glossário Ascar de termos supermercadistas

C

Cadeia de abastecimento – Todo o processo de realização e movimentação eficiente de mercadorias do produtor ou fabricante ao consumidor final. Veja Cadeia de distribuição.

Cadeia de lojas - Operação de varejo de um grupo de lojas, que opera sob uma mesma bandeira ou mais de uma, mas sob a administração e orientação de uma única sede.

Caderno de pedidos - Um catálogo impresso dos produtos e seus preços, que estão em linha na loja. Com ele a loja faz seus pedidos ao deposito central da empresa ou a fornecedores.

Caixa - Veja Checkout.

Caixa, operadora de– Funcionária da frente de caixa que trabalha no checkout, respondendo pelo processo final da venda e recebedora do pagamento do cliente. Geralmente do sexo feminino, exerce uma função muito importante por ser o último contato do cliente com a loja. É também o delicado momento em que ele vai enfiar a mão no bolso. Veja Checkout.

Caixa padrão – A unidade de venda de um fabricante com um número fixo de unidades do produto.

Caixa preferencial – Um caixa selecionado para atender só clientes idosos, deficientes físicos, gestantes e mulheres com criança de colo.

Caixa rápidoUm caixa (checkout) selecionado para atender só clientes com um número limitado de itens, normalmente até dez.

Calendário promocional - Lista cronológica anual e mensal onde são projetados todos os eventos promocionais que a empresa varejista ou a loja pretende desenvolver.

Calendário sazonal – Um programa detalhando todos os passos de preparação para um bom planejamento de períodos promocionais em datas importantes como o natal, carnaval ou volta às aulas, entre outros. Veja Promoção sazonal.

Câmara congeladora - Uma área fechada com temperaturas negativas para a armazenagem de produtos que devem ser mantidos congelados.

Câmara fria - Local refrigerado ou congelado para a estocagem de produtos perecíveis que necessitam de refrigeração, congelamento ou algum tratamento especial.

Câmara refrigerada - Uma área fechada refrigerada para a armazenagem de produtos perecíveis.

Caminhão refrigerado - Um caminhão com temperatura controlada e baixa, utilizado para transportar produtos perecíveis.

Caminho percorrido - A direção e o fluxo dos clientes na loja desde sua entrada até sua chegada aos caixas. Veja Fluxo dos clientes.  

Canal de distribuição - Todos os envolvidos na cadeia de distribuição, que leva um produto desde a fazenda (se agrícola) ou desde a indústria (se industrial), passando por intermediários, até a mesa do consumidor final. Este caminho pode incluir o produtor, fabricante, intermediários, atacadista e a loja varejista.

Canaleta para preço -- Uma tira plástica na frente de uma prateleira de gôndola usada para afixar etiquetas de preços e outras informações dos produtos.

Canibalização - A abertura de uma nova loja por uma rede, localizada dentro da área de influencia de outra loja da mesma rede.

Capacidade cúbica - A capacidade de estocagem de um veículo, expressa em metros cúbicos. Veja Metragem cúbica.

Capacidade de exposição - O volume total de produtos que podem ser colocados em uma prateleira ou expositor.

Carga de retorno - A tática de um caminhoneiro de, após a entrega de uma mercadoria, ter uma carga para o retorno a sua cidade de partida ou próximo a ela.

Carnes e aves – Seção de um supermercado que comercializa todos os tipos de carnes e aves. Já foi, na década de sessenta, a seção que mais afreguesava e era de compra quase diária.   

Carrinho de compra - Carrinho com características próprias e bem diferenciadas, usado pelos clientes dentro da loja, para armazenar e transportar suas compras até o checkout e muitas vezes, até o seu automóvel.

Carrinho display - Um carrinho de compras usado como um expositor de mercadorias em oferta.

Carro plataforma - Um carro destinado ao transporte de mercadorias do depósito da loja para a área de vendas.

Cartão de crédito – É uma forma eletrônica de pagamento. É um cartão de plástico que identifica o portador e devedor e, ao ser utilizado, gera um crédito ao vendedor.  

Cartão de débito – É uma forma eletrônica de pagamento, com o uso de um cartão de plástico, que debita de imediato o valor da compra na conta bancária do usuário.

Cartão de fidelidade – Cartão usado para identificação de clientes especiais e frequentes, armazenando suas informações, seus hábitos de compra e os recompensando pela sua fidelidade.

Cartão inteligente - Um cartão com microchips que armazena dados, valores e pode ser usado para compras e outras finalidades, sendo recarregável.   

Cartaz de janela – Cartaz, geralmente de papel ou papelão, com oferta de produto, pendurado na janela de uma loja para atrair o publico passante.

Cartaz de prateleira - Um pequeno cartazete colocado na gôndola para falar ou propagar sobre um produto. Pode ser chamado de falador de prateleira.

Cartazeamento - Diversos tipos e tamanhos de cartazes utilizados por um varejista, dentro da loja, para estimular a venda. Veja Sinalização.

Cartaz promocional - Cartaz utilizado em um display ou qualquer outro ponto-de-venda para chamar a atenção e promover o produto em exposição.

Casa de máquinas - Local que concentra todas as maquinas e compressores necessários para a operação do frio alimentar e do ar condicionado.

Cash & carry - Uma política de vendas relacionada com atacadistas em autosserviço. Por ela o cliente, normalmente varejista ou transformador, paga e já leva a mercadoria. Também pode designar um formato de loja. Veja Atacado em autosserviço puro ou misto.

Categoria de produtos - Um grupo de produtos similares e distintos, classificados conforme as necessidades que atendem tais como; matinais, destilados, detergentes, alimento para animais, etc. Diferentes categorias de produtos exercem diferentes papéis para diferentes canais de varejo. Assim pelas suas características podem ser também classificados de: destino, rotina, ocasional e conveniência.

Categoria conveniência - É a categoria de produtos que serve para atender necessidades imediatas dos consumidores. São de valor baixo e compra frequente.  Eles são comprados por impulso ou em emergência estando o cliente dentro da loja ou não. Balas, doces, bebidas e quinquilharias são alguns exemplos.

Categoria destino - A categoria destino é aquela cujos produtos atraem clientes até a loja, exclusivamente para comprar esses produtos. É aquela que melhor caracteriza e personaliza a loja. É o seu ponto forte de atração e vai buscar clientes de muito longe.

Categoria ocasional Neste grupo, os produtos são comprados ocasionalmente, em situações específicas, por conta de um evento. Não são de compra constante e de rotina dos consumidores, bem como não são produtos de primeira necessidade.

Categoria rotina – Esta também atrai clientes para uma loja porem é mais um reforço para a decisão de onde comprar do que como objetivo final. Nesta categoria estão produtos comprados rotineiramente, sem muita necessidade de pesquisa ou decisão. Uma boa parte dos alimentos está nesta categoria.

Category killer O “matador da categoria” é um varejista como um hipermercado ou uma grande loja especializada capaz de ter seus preços sempre abaixo da maioria dos concorrentes, em uma determinada categoria de produtos, por causa do seu alto volume de vendas e custo operacional baixo.

C.D. - Centro de distribuição ou deposito central de uma rede. Veja Centro de distribuição.

Central de compras - Um grupo formado por varejistas para mútua cooperação em compras conjuntas em melhores condições, tanto de mercadorias quanto de equipamentos. Planejam ofertas e propaganda e prestam inúmeros serviços aos associados.  Também pode ser um atacadista que fornece produtos e serviços aos varejistas que a ele estão ligados de uma forma cooperativa. 

Central de recuperação - Um departamento da central de distribuição que recebe das lojas produtos danificados ou impróprios para a venda. São eles processados, classificados e enviados para reembolso dos fornecedores, quando for o caso.

Centro comercial – Veja Shopping center.

Centro de distribuição - Um depósito de grandes proporções utilizado para receber, armazenar e distribuir produtos para lojas. Exerce as funções de concentração, equalização e distribuição. Pode ser também, de um fabricante, rede ou um prestador de serviços.

Centro de distribuição frio - Um C.D. refrigerado para o armazenamento e distribuição de alimentos congelados ou refrigerados.

CFTV (Circuito Fechado de TV) – Câmeras e outros dispositivos com a função de monitoramento de áreas por meio de imagens.

Checkout - Um móvel de supermercado, já na saída da loja, onde a operadora de caixa trabalha e as transações finais dos clientes ocorrem. Nele registram a mercadoria, recebem e empacotam. Também conhecido como o Caixa. Veja Caixa rápido.

Checkstand - Móvel expositor localizado na entrada do checkout para expor produtos de margem alta e que geram altas vendas por impulso, como revistas, doces, lâminas de barbear, sorvetes entre outros.

Cheque pré-datado - Um cheque para ser depositado em data posterior à data em que foi emitido e feita à compra. 

Circulação de clientes - Veja Fluxo dos clientes.

Cliente É conhecido popularmente por freguês. É aquele que visita sua loja para fazer compras ou usufruir de algum serviço. É o tal que dizem ter sempre razão. Veja Consumidor.

Cliente Oculto, Fantasma ou Misterioso – Pessoa contratada pelo varejista que se passa por cliente. Utilizado para avaliar a eficiência e os padrões dos processos. Exemplo: o cliente misterioso pode entrar em áreas restritas para testar se algum funcionário irá abordá-lo ou não com a finalidade de inibir seu acesso.

Clube atacadista - Uma grande loja de atacado e varejo, com cerca de 9.000 m2, em ambiente simples e despojado, que vende apenas para clientes associados (membros) que pagam uma taxa anual para tal. Esses podem ser tanto transformadores, pequenos comerciantes, escritórios como também consumidores finais. Opera alimentos e não alimentos com um sortimento limitado de produtos, cerca de 6.000 itens, mas com ótima variedade. A mercearia opera com embalagens institucionais e múltiplas.  Seu apelo esta nos preços muito baixos.

Cluster – Áreas geográficas dispersas, não contínuas, mas com iguais características de comportamento dos consumidores. Podem ter um único tratamento mercadológico, mesma linha de produtos e política de preços.   

CMV Veja Custo da mercadoria vendida.

Código de barras - Um código de identificação exclusivo para cada produto ou caixa usando barras verticais pretas e brancas. O código é lido por um scanner eletrônico nos checkouts ou por leitores manuais para pedidos ou controle de estoque. Em inglês é o UPC, Universal Product Code. É à base da tecnologia de automação comercial.

Colaboradores – Nome, ultimamente utilizado, para referir-se a todos os empregados de uma empresa supermercadista.

Combo store - Uma super loja de alimentos, com um mínimo de 4.000 m2 de área de venda, com forte participação de não alimentos acrescido de uma drogaria e farmácia combinadas (Combo) sob o mesmo teto. Conceito americano ainda sem uso no Brasil.

Comércio eletrônicoÉ o ato de vender e comprar através da internet. O pagamento é feito por meios eletrônicos ou por boleto.

Comitê de compras - Um grupo de funcionários que analisa e seleciona ofertas e promoções especiais e sazonais. Pode também contribuir para a reformulação do mix de produtos.

Comitê de linha - Um grupo de gestores, que aprova o mix de produtos, autoriza a retirada ou introdução de produtos, formula campanhas de publicidade e merchandising e projeta o volume de vendas de novos produtos. Veja Conselho de clientes e Comitê de compras.

Commodities - Principais produtos agrícolas, matérias-primas básicas ou com pequeno grau de industrialização, utilizadas para processamento de diversos produtos alimentícios.  Não apresentam diferenciações por não possuírem valor agregado, marca de referência ou serviço que as diferenciem.

Compactador de lixo - Equipamento usado para esmagar o lixo seco ou molhado. Às vezes encontrado em algumas lojas em duas unidades distintas: um compactador para papel e papelão e outro para os outros materiais. Veja Prensa de papelão.

Compare e economize - Propaganda em loja que, com um cartaz na sua entrada, compara seus preços aos de um concorrente. É mais utilizada pelos hipermercados, apesar de pouco ética.

Comportamento do consumidor - Um padrão observável do comportamento de um cliente durante o período de suas compras. Também como se comporta em resposta às ofertas e à forma de exposição de um produto.

Compra direta - Um supermercado ou rede que coloca seus pedidos diretamente no fabricante e obtém melhores preços, pela inexistência de intermediário.

Comprador - Um funcionário que responde por uma linha de produtos analisando, selecionando, montando um mix adequado e comprando. Geralmente responde pela compra, pelo estoque, pelo lucro da linha e é corresponsável pela venda.

Compradores institucionais - Hospitais, escolas restaurantes, indústrias e outras instituições que compram alimentos e suprimentos para seu consumo ou transformação, e não para revenda.

Compra por impulso - Uma compra não planejada, mas decidida pelo visual ou outro estímulo sensorial ou psicossocial.

Compras antecipadas - A prática varejista de fazer compras com antecedência para obter descontos especiais e garantir a data de entrega que lhe interessar. Normalmente usada para produtos sazonais ou para ofertas.

Compressor - Equipamento alimentado com gás comprimido que gera energia para os refrigeradores e as câmaras.

Comprovante de compra - Evidência utilizada por um cliente para comprovar a compra de um produto, para troca, devolução, restituição ou por qualquer outro motivo.

Comunicação por satélite - Um sistema de comunicação que utiliza satélites para transmitir dados e informações.

Congelador - Uma área fechada de armazenagem que conserva os produtos congelados com temperatura inferior a 4 graus célsius.

Congelador horizontal – Equipamento modular horizontal para expor produtos congelados na área de venda. Opera aberto ou fechado, ocupando o espaço de uma gondola.

Congelador portátil - Uma unidade expositora de congelados de uso versátil. Pode estar em frente ao checkout como em um terminal de gôndola. 

Congelador vertical - Utilizado para expor produtos congelados como sorvetes, verduras congeladas, pratos prontos ou semiprontos entre outros. Sempre com portas, pode ter refrigeração própria individual ou utilizar a casa de máquinas da loja.

Conselho de clientes - Um grupo selecionado de consumidores que fornece informações sobre os serviços oferecidos pela loja e sobre produtos que estão em linha. Pode também ser aproveitado para outras finalidades de interesse da loja.

Consignação - Acordo de compra no qual o varejista recebe a mercadoria e só paga ao fornecedor aquelas que tiverem sido vendidas.

Consumidor - O usuário final de qualquer produto ou serviço. O freguês ou cliente (shopper) é aquele que compra, e que também pode ser o consumidor. É o elo final da cadeia de distribuição de um produto: fabricação, distribuição, atacado, varejo e consumo final. Veja Cliente.

Contabilidade e controles - Métodos e procedimentos de gestão financeira, que incluem inventário, orçamento, provisões, planejamento estratégico, controle de despesas, impostos, lucro direto do produto, entre outros.   

Conta chave - Um atacadista ou varejista que é um dos principais clientes, em volume de faturamento, de um fabricante.

Container – Equipamento usado para armazenar bem como transportar produtos para garantir que eles vão estar em boas condições quando chegarem à casa do cliente.

Contaminação cruzada - A transferência de bactérias de um produto para outro por contato direto ou indireto.

Contas a pagar - O que o supermercado deve a seus fornecedores, por mercadorias, ativos e materiais de escritório comprados e recebidos, bem como por serviços prestados por terceiros a sua loja.

Contas a receber - Dividas de clientes ou de fornecedores entre outras.

Controle de estoque - A gestão e quantificação do fluxo de mercadorias na loja.

Cooperativa Associação de pessoas físicas ou jurídicas que se unem para satisfazer suas necessidades comerciais. Seu objetivo é econômico, é o de viabilizar os negócios de seus associados. Eles são os donos do patrimônio e os beneficiários do lucro. Por outro lado uma cooperativa de trabalho beneficia os próprios cooperantes, o mesmo em uma cooperativa de produção.

Cooperativa de consumo - Um grupo organizado que faz compras em conjunto para economizar, por comprar maiores quantidades e assim obter melhores preços.  A cooperativa opera no mercado alimentício como uma corporação sem fins lucrativos e voltada à satisfação das necessidades de consumo dos cooperados, e às vezes ao público em geral. Veja Loja de cooperativa.

Copatrocínio - Dois ou mais anunciantes que compartilham as despesas de publicidade em um programa de televisão, rádio ou qualquer mídia.

Correio eletrônico (e-mail) - Sistema de comunicação eletrônica através de um computador que permite ao usuário gerar e transmitir mensagens para outros locais, pessoas e endereços através da Internet.

Cortina de ar - Uma zona-tampão de ar entre salas de diferentes temperaturas em um armazém ou entre o interior e o exterior de uma loja.

Crédito por transferência - A forma utilizada para creditar uma loja por mercadoria que ela transfere para outra da mesma rede.

Criador de tráfego - Um produto oferecido a baixo preço ou um display agressivo colocado em área de pouca circulação para atrair mais clientes para o local.  

Cross docking - Um processo que ocorre em um centro de distribuição quando o produto que chega, é imediatamente dividido pelos pedidos das lojas e já colocado em estrados ou estocado em área temporária. Os produtos são enviados as lojas sem terem entrado no estoque do centro de distribuição, próprio ou terceirizado.

Crustáceos - São animais aquáticos como o camarão, ostra, mexilhão, caranguejo, lagosta, lula e polvo.

Cryovac - Um termo próprio e registrado para determinado material de embalagem a vácuo, que passou a ser usado como termo genérico, assim como o são os termos gillette, xerox, ou band-aid.

Cupom - Um certificado de desconto utilizado no caixa. Cupons são distribuídos aos clientes em anúncios do fabricante, folhetos especiais, na embalagem dos produtos, por mala direta, via eletrônica, na loja ou através da internet.

Curral de carrinhos - Um recinto fechado em três lados no estacionamento de uma loja, para recolher carrinhos de compra usados pelos clientes e deixados no estacionamento. Há sempre um na entrada da loja.

Custeio baseado em atividades (ABC) - Método contábil que consiste na identificação, análise e alocação de custos aos processos da empresa, visando melhor gerenciar a lucratividade. É a metodologia que melhor permite uma efetiva mensuração dos custos e benefícios da implantação das estratégias ECR. Esta metodologia reduz sensivelmente as distorções do sistema tradicional de custeio.

Custo da mercadoria vendida (CMV) - O valor pago por uma empresa para as suas mercadorias vendidas em determinado período.  O CMV é calculado somando o custo do estoque do início do período (EI) com o custo das mercadorias recebidas durante esse período (C) e subtraindo o custo do inventário (EF) no fim do período. Esta é a fórmula: CMV = EI + C – EF

Custo de distribuição - O termo se refere ao transporte, armazenamento e demais custos inerentes á entrega de um produto em uma loja. Podemos estar falando de um fabricante ou do custo interno de distribuição de uma rede.

Custo de estar - São os custos associados a um deposito ou loja como, aluguel, depreciação, amortização, manutenção enfim, todos aqueles que permitem a você se manter no imóvel.

Custo de oportunidade do capital – Uma taxa possível de retorno sobre uma melhor utilização do dinheiro investido por uma empresa. É aquilo que você pode deixar de ganhar em uma transação por escolher outra opção de investimento.

Custo direto de um produto - Todos os custos de um produto, incluindo distribuição, transporte, manuseio e propaganda.

Custo fixo - Um custo que não muda com a variação do nível de venda ou de produção. São despesas que existem independentes do nível dos negócios.

Custo margem zero - O preço de venda de um produto, considerando todos os impostos e despesas diretas, que trará margem bruta zero para a loja.

Custo unitário - É o preço de compra de uma unidade de produto. Ele inclui o preço de compra e todos os custos variáveis relacionados a ele inclusive impostos, além de uma taxa dos custos fixos.

Custo variável - Um custo que varia com a produção ou com o nível de venda. Falo da despesa de pessoal da loja, do custo de estocagem ou da despesa de embalagem.